WSL 2018: Etapa de J-Bay

Hoje, dia 2, começa a etapa de J-Bay do CT 2018, na África do Sul. Além da água congelante e direitas muito velozes, a presença de tubarões é mais um motivo para considerarmos a etapa de J-Bay a mais desafiadora e perigosa do circuito.
 
Os últimos casos de aparições de tubarões nessa etapa foram na final de 2016 quando o australiano Mick Fanning esbarrou em um durante a final e em 2017 na bateria Fanning x Medina quando a organização interrompeu o evento.
 

Vencedor de 2017 em J-Bay

  
Filipe Toledo, vencedor da etapa do Rio de 2018, foi o único brasileiro a vencer nas águas africanas no ano passado. Neste ano, a brazilian storm continua forte com 4 brasileiros entre os 5 melhores do ranking atual (Filipe Toledo, Ítalo Ferreira, Gabriel Medina e Willian Cardoso).
 
Uma atração da Etapa de J-Bay é a volta de Kelly Slater aos mares, depois de seguidas lesões desde o ano passado que o impossibilitaram de fazer sua estreia na temporada de 2018. O norte-americano de 46 anos, dono de 11 títulos mundiais, confirmou em suas redes sociais que estará presente.
 
Outro destaque é a volta das mulheres à Jeffreys Bay após 18 anos. O último evento feminino realizado lá foi em 2000, quando a havaiana Megan Abubo foi campeã. Porém, as mulheres entrarão na água do dia 6 até 16 de julho, enquanto os homens, entre 2 e 13 de julho.
 
O Brasil conta com 12 atletas da Brazilian Storm: Adriano de Souza, Filipe Toledo, Gabriel Medina, Ian Gouveia, Italo Ferreira, Jessé Mendes, Michael Rodrigues, Miguel Pupo, Wiggolly Dantas, Willian Cardoso e Yago Dora.