L-carnitina emagrece?

Apesar de ser um ingrediente amplamente estudado, muita gente ainda duvida que a l-carnitina emagrece. De forma resumida, a l-carnitina é um composto natural que ajuda o corpo a transformar gorduras em energia, facilitando o transporte dos ácidos graxos para dentro da mitocôndria onde serão utilizados como fonte de energia. A mitocôndria é uma estrutura intracelular responsável por gerar energia.
 
Nosso organismo produz l-carnitina diariamente, porém, estudos já mostraram que a suplementação com l-carnitina é capaz de aumentar a oxidação de gorduras em humanos [1]. O Carni-Bullet! traz uma dose super concentrada de 1300mg de l-carnitina da mais alta qualidade, fabricada pela Lonza na Suiça.
 
Dois grupos de pesquisas independentes já demonstraram que a suplementação com carnitina estimula o metabolismo de ácidos graxos. Antes e depois do início do protocolo de suplementação com carnitina, os indivíduos consumiram refeições ricas em ácidos graxos. Foi medido a quantidade de CO2 expelida no ar e o grupo que suplementou com carnitina teve uma maior quantidade de CO2 expelida na respiração, indicando uma maior queima de ácidos graxos.
 

Gráfico da pesquisa sobre L-Carnitina
 
Além disso, a l-carnitina também tem papel de transportar os ácidos organicos de cadeia curta para fora da mitocôndria. Nosso metabolismo usa este sistema para excretar os compostos tóxicos para fora do organismo através da urina. Por exemplo, após um treino, nosso corpo está carregado de substâncias resultantes do metabolismo que precisam ser excretadas. Com a ajuda da l-carnitina, serão formados esters para serem excretados. Algums destes compostos ácidos incluem o ácido valproico, propionico, pivalico e benzoatos [4].
 
Devido a este papel fundamental no metabolismo energético, a L-carnitina geralmente é usada pelo corpo como suporte para todas as funções que requerem muita energia.
 
Bibliografia:
1. Müller DM et al., 2002.
2. Roberts PA et al. (2005). Am J Physiol Endocrinol Metab 288(2):E327
3. Ramsay RR (2000). Biochem Soc Trans 28(2):182
4. Karlic H et al. (2004). Nutrition 20:709